+zero

posts com a tag itau

$@ “fábio, quer ser meu amigo?” – alegria alegria no coração! itaú cultural rumos 2009: amigóide vencedor das multidões!

postado em 8 de September de 2009 por – 8 comentários

amigóide vencedor

mandamos projetos do pmdn +zero do brasil para o programa rumos arte cibernética 2009 do itaú cultural. mas a alegria vem do irmão menor do pmdn: o ++CAYCE POLLARD coletivodeartecomputacional; encabeçado por mim e pelo mano sangue b nicolau centola. o simpático autômato amigóide foi um dos 5 projetos aceitos na área de arte e tecnologia, até R$ 25.000,00! esperamos que o amigóide nos traga muitos amigos!

ops ops ops vixê vixê pera lá!

AMIGÓIDE é um projeto que pretende criar um autômato que busca o interrelacionamento com seres humanos em ambientes controlados. Por ambientes controlados, entendemos uma sala onde um grupo de até 10 pessoas terão a oportunidade de travar relações com o autômato. O relacionamento se dá por seleção randômica e se efetivará por meio de movimentos, falas e demonstrações de sentimentos digitais.  AMIGÓIDE evidencia a efemeridade das relações contemporâneas e a busca desesperada por amizade.

O Autômato em busca de amizade apresenta-se formalmente como um artefato cilíndrico com 80 cm de altura e 30 cm de diâmetro, contendo em seu interior os dispositivos eletrônicos e mecânicos necessários ao seu funcionamento. O AMIGÓIDE desloca-se livremente pelo ambiente controlado, buscando uma amizade imediata. Ao selecionar seu par, o autômato passa a seguí-lo pelo ambiente, com a intenção de travar relação de amizade. Para tanto, sinais visuais e sonoros serão emitidos pelo AMIGÓIDE. Ele aproxima-se do eminente colega e lança a pergunta: “Fábio, quer ser meu amigo?”. Note-se a impessoalidade com que a realização do contato inicial é feita.

MODO DE FUNCIONAMENTO:
AMIGÓIDE
trata-se de objeto cibernético interativo, com o objetivo de trabalhar as trans-relações homem-máquina na sociedade contemporânea.

Toda a interação terá lugar em um ambiente controlado, formado por uma sala de aproximadamente 21 m2, totalmente fechada, com somente uma porta que faz comunicação com o mundo exterior. Paredes, teto e chão deverão ser pintados de branco e a iluminação será feita por meio de oito spots em um trilho eletrificado central. A cada 15 minutos, dez pessoas entram na sala e participam do projeto.

Um monitor humano fará toda a intermediação entre os participantes, além de cadastrá-los antes da experiência em um site especialmente desenvolvido para o projeto, que possibilitará outras interações remotas posteriores com o AMIGÓIDE.

O autômato é formado por uma estrutura cilíndrica metálica pintada de preto com 80 cm de altura e 30 cm de diâmetro. Em sua base está disposto um conjunto de rodas que possibilita a movimentação livre em qualquer direção.

Em toda a volta encontram-se sensores de movimento, que farão a identificação das pessoas no ambiente controlado, orientando o AMIGÓIDE para seu deslocamento. O autômato pode se aproximar ou se afastar de diferentes humanóides, seguindo uma seqüência aleatória controlada não só pelos sensores de movimento, mas também por um algoritmo de relacionamento, desenvolvido no projeto.

Em sua parte superior encontra-se um alto-falante, responsável pela interação sonora com os humanos. Diversas frases pré-gravadas estão disponíveis para que o AMIGÓIDE interaja sonoramente com os humanos. Entre as frases encontram-se: “Oi Fábio, quer ser meu amigo?”; “Há quanto tempo, Fábio!”; “Você vem sempre aqui?”; “Fábio, o que você busca em uma amizade?” etc. Fábio é, para o AMIGÓIDE, a personalização do humano ideal, o alter-ego relacional que faz a ponte humano-máquina.

Seis feixes anelóides compostos por LEDs estão dispostos no corpo do autômato, iniciando-se na borda superior. Tais LEDs têm três padrões diferentes de cores e seqüências de atuação: ao identificar possível amizade, ao demonstrar algum sentimento e ao falar. Todas colaboram para definir diversas formatos interativos.

Os sistemas de navegação e interação são totalmente embarcados no interior do autômato, incluindo baterias de longa duração, possibilitando deslocamento independente e autonomia de vida.

ASPECTOS TÉCNICOS-CIENTÍFICOS:
O
AMIGÓIDE será completamente autônomo, dispensando o uso de dispositivos eletrônicos externos. Como elemento central temos um arduíno, plataforma de hardware open-source que, devidamente programado, irá controlar todas as interações e movimentos do autônomo.

O projeto contará com um motor e quatro rodas ligadas a dois eixos, que serão responsáveis pela movimentação no ambiente controlado. Os sensores responsáveis pelo monitoramento do ambiente supra-citado também estarão ligados ao arduino, sendo essencialmente sensores ultra-sônicos e de leitura de temperatura. Todo sistema será alimentado pequenas baterias recarregáveis de lítio de alta duração.

As frases emitidas pelo sistema estarão armazenadas em um CI – circuito integrado – dedicado a reprodução, sendo disparadas por seqüências pré-determinadas de eventos programados. Completa o sistema autônomo uma série de LEDs – emissores de luz – de cores diversas, dispostos em seis fileiras no corpo do AMIGÓIDE.

picolau amigóide nicolau centola

tags: , , , , , , , , , ,