+zero

!@ #8.ART brasília, unb: resumão da ópera

postado em 20 de September de 2009 por – 1 comentário

diana domingues

diana domingues suzete venturelli eagles of death metal favela calor andança transloucada sepultura artistas e kant flusser schiller interfaces processing variáveis com nomes de filósofos beiruth aprender a viver com as diferenças gol falta de táxi shopping unb meia dúzia de nêgo hotel nacional congresso mambembe funfarra sobradinho esplanada seu lula gente feia capoerismo zimbábue

suzete venturelli

tags: , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,

um comentário para “!@ #8.ART brasília, unb: resumão da ópera”

  1. dominguinhos says:

    Diana Galicchio Domingues
    (Paim Filho RS 1947)

    É professora titular do Departamento de Artes da Universidade de Caxias do Sul. Na direção do grupo de pesquisa Novas Tecnologias nas Artes Visuais, desenvolve a pesquisa Arte, Tecnologia e Comunicação: Poéticas, Nós e Interações, em ação que integra as áreas de artes, informática e automação industrial. Doutorada em comunicação e semiótica pela PUC/SP, com mestrado em artes pela ECA/USP. Artista multimídia, explora a criação com recursos computacionais e multimídia, com tratamento e geração de imagens, instalações interativas com dispositivos de aquisição e comunicação de dados em ambientes sensoriados, redes neurais, entre outros sistemas. Participa de importantes eventos internacionais (Isea, Artmedia, Ars Electronica, etc.). Em 1995, organizou, no Memorial da América Latina e no MAC/USP, a importante conferência-evento Arte no Século XXI: a Humanização das Tecnologias.

    IMPORTÂNCIA DE SUA OBRA
    Diana Domingues foi originalmente uma gravurista, mas o seu trabalho, muito rapidamente, tomou direções imprevisíveis. A partir de 1977, ela passa a trabalhar com tecnologias eletrônicas (inicialmente com vídeo, videotexto e computador) e sua obra se orienta principalmente para a migração das formas de um suporte a outro, ou seja, para o que acontece com as imagens quando elas são passadas de fotografia a vídeo, de vídeo a imagem digital e dessas formas novamente à fotografia. De um suporte a outro, as figuras exploradas por Domingues estão em mutação permanente, resultando escorregadias, ruidosas, liquedescentes, e suas origens são cada vez mais difíceis de recompor. Uma súmula desse primeiro momento da artista está na exposição Connexio, apresentada no MAC/USP e no evento Artmedia III, em Salerno, Itália.

    A partir dos anos 90, porém, sua obra dá um grande salto com a exploração de temas e processos ligados à biologia e à medicina. Aproveitando o fato de conviver numa família de médicos (marido e filhas), Domingues descobriu primeiramente um imenso potencial estético nos dispositivos de visualização do interior do corpo (ecografias, termografias, raios X, ressonância magnética, tomografias computadorizadas, etc.) e, em seguida, abriu a sua obra para a discussão das mudanças profundas que estão ocorrendo hoje no próprio conceito de vida. Assim é que, já em 1994, ela inicia um série de instalações interativas – reunidas depois sob o nome de O Corpo e as Tecnologias -, todas elas centradas nas relações intrincadas e problemáticas que estão hoje se passando entre o corpo humano e as novas tecnologias. Essas instalações foram apresentadas em várias galerias e museus do Brasil. Nelas, ecografias de fetos e tomografias computadorizadas do coração convivem com livros e vídeos de medicina e demais objetos indicadores do ambiente médico, enquanto a instalação inteira se desenvolve conforme o movimento dos visitantes, captados por sensores distribuídos pela sala. Da mesma forma, em Enigmas da Pedra (1997), apresentada no Itaú Cultural, por ocasião do evento Arte e Tecnologia, a imagem de uma pedra com inscrições rupestres, projetada num telão, também se altera de acordo com o movimento dos visitantes no ambiente da instalação, captado por sensores colocados num tapete. A instalação é sempre imprevisível: dependendo de quantas pessoas existem, de como se movimentam e do que fazem elas no ambiente, uma série de imagens diferentes é exibida no telão. Em In Viscera (1995), instalação exibida originalmente na Galeria de Artes da Universidade Federal Fluminense, Niterói, videolaparoscopias tratadas eletronicamente são projetadas em cinco telas transparentes. As imagens foram gravadas por uma microcâmera durante uma cirurgia. A instalação simula o percurso no interior de um corpo em funcionamento. Há um microfone oculto na sala e, quando alguém fala perto dele, a voz é amplificada e reverberada em eco, criando aquilo que a própria artista chama de “escultura sonora efêmera”. Em Our Heart (1997), ecografias do bater de um coração são projetadas em telas redondas transparentes. Uma interface sonora captura sons da freqüência cardíaca do visitante. Um software especialmente escrito para a instalação interpreta esses sons como alterações nos padrões das imagens, devolvendo ao visitante a sua própria pulsação cardíaca na forma de metamorfoses das imagens projetadas. Dessa forma, corpos biológicos e sintéticos dialogam.

    A súmula do processo de Domingues está em sua obra mais importante, My Body, My Blood (1997), apresentada originalmente no 8th International Symposium on Electronic Art, Isea 97, em Chicago. Trata-se basicamente de um ambiente sensorizado no qual os corpos dos visitantes dialogam com dispositivos eletrônicos, produzindo metamorfoses nas imagens projetadas numa tela, nos sons de batidas de coração na pista sonora e no movimento de um líquido vermelho simulando sangue. A partir dessa obra, Domingues começa a utilizar algoritmos genéticos e de redes neurais para interpretar os movimentos humanos, logaritmos eles próprios também baseados em processos vivos e, portanto, mais adequados ao espírito da instalação.

    Mais recentemente, Domingues iniciou uma experiência com telerrobótica que resultou no trabalho INSN(H)AK(R)ES (2000), em que um robô em forma de cobra, com a propriedade de controle remoto, é colocado no serpentário do Museu de Ciências Naturais da Universidade de Caxias do Sul. Uma microcâmera inserida no corpo da cobra permite que participantes situados em qualquer parte do globo, pela Web, compartilhem a visão do animal, e experimentem conviver com as cobras reais do serpentário.

    Cronologia
    EVENTOS SELECIONADOS

    * 1986 – São Paulo SP – Projeto Vermelho/Progetto Rosso – operação experimental, no MAB/Faap
    * 1994 – Caxias do Sul RS – Em Contato, rede de fax, Universidade de Caxias do Sul.
    * 1994/1995 – TRANS – E – apresentada em cinco galerias e museus no Brasil entre 1994 e 1995, sobre o relacionamento corpo humano e novas tecnologias.
    * 1995 – São Paulo SP – Arte no Século XXI: humanização das tecnologias, no MAC/USP – curadoria
    * 1995 – McMinnville (Estados Unidos) – Happy River – evento por rede: Eletronic River – transmissão por fax da equipe da pesquisa Novas Tecnologias nas Artes Visuais da UCS para Unicamp, UnB, Recife no evento Enter de Eletronic River, artista Lilian A. Bell
    * 1995 – São Francisco (Califórnia) – LEA – Leonardo Electronic Almanac /Gallery – TRANS – E – Leonardo, Journal of the International Society for the Arts, Sciences and Technology – Galeria Eletrônica. – http://www-mitpress.mit.edu/LEA/Gallery
    * 1996 – Linz (Áustria) – Ars Electronica 96 Trabalho apresentado: Netlung – WWW – World Wide Web Sites – http://www.unb.br/vis/netlung/diana/diana1 The reverse side of the body
    * 1996 – McMinnville (Estados Unidos) – Techno – Ambiances – Megalights and Office Machines – Fax Installation Renshaw Gallery – Linfield College
    * 1997 – Chicago (Estados Unidos) – Isea 97, no 8th International Symposium on Electronic Art
    * 1997 – Linz (Áustria) – Mechanistic Baggage, no Net Symposium Flesh Factor, http://www.aec.at/fleshfactor/arch/
    * 1998 – Caxias do Sul RS – GAU/98 – Galeria de Arte da Universidade de Caxias do Sul
    * 1999 – Campinas SP – 12º Simpósio Brasileiro em Computação Gráfica e Processamento de Imagens – Sibgrapi 99, na Galeria de Arte do IA/Unicamp – mostra de arte eletrônica, Artecno – website do Grupo de pesquisa Novas Tecnologias nas Artes Visuais: http://artecno.ucs.br
    * 1999 – Porto Alegre RS – Impressões sobre o Século 21, na Galeria do Armazém Digital http://www.ad.com.br
    * 1999 – Caxias do Sul RS – INSN(H)AK(R)ES: http://artecno.ucs.br/insnakes/, Mercopar – evento robótico interativo
    * 2000 – Gramado RS – 13º Simpósio Brasileiro em Computação Gráfica e Processamento de Imagens – Sibgrapi 2000 – mostra de arte eletrônica – evento robótico interativo – INSN(H)AK(R)ES: http://artecno.ucs.br/insnakes/
    * 2000 – Salvador BA – Arte e Tecnologia do Instituto Goethe – site Artecno
    * 2000 – Toronto, Budapeste e Liubliana – Digibodies Online Exhibition – http://www.digibodies.org – Ars Electronica netsymposium, Tom Sherman, moderator
    * 2000 – Caxias do Sul RS – INSN(H)AK(R)ES, no Museu de Ciências Naturais da Universidade de Caxias do Sul
    * 2000 – Atenas (Grécia) – Medi@terra 2000 – International Art and Technology Festival & Symposium

    PUBLICAÇÕES EM WEB SITES DE OUTROS AUTORES

    * http://www.annenberg.edu/BRIDGES
    * 6c81611a4567e572cb21c61253130766
    * cubahora.co.cu/cultura/resumenbienal/diana.html
    * 0d1dfc16936ca1192ef37ed0ef3d0c4f
    * http://www.universes-in-universe.de/car/habana/bien7/casona/d-domingues.htm
    * http://mitpress2.mit.edu/e-journals/Leonardo/gallery/gallery294/domingues.html
    * ce412911f44f782f1696023670e3dfd8
    * http://www.terra.com.br/bienaldomercosul/ciberporto
    * http://www.mediaterra.org/mediaterra2000/en.cgi?exhibition=brazil
    * http://www.ccec.org.ar/jorna01/centro_dominguez.htm
    * www15.vianetworks.com.br/casadasrosas/ima/diario25.htm
    * http://www.aec.at/fleshfactor/arch/
    * wawrwt.iar.unicamp.br/gilbertto/publica.htm
    * http://www.mediaterra.org/mediaterra2000/
    * http://www.ad.com.br/materia/espada.htm
    * http://www.stelarc.va.com.au/biblio
    * 2f1f681123d5166f7416a2dd5d6cada9
    * http://www.prix-mobius.org

    Obras Selecionadas

    * ((Ins(h)nak(r)es))
    * Trans-e, My Body, My Blood?
    * In-Víscera?
    * Pulsação ou Onda ou Vermelho, não Verde
    * A-Feto?
    * In-Fluxus?
    * A Ceia

    Referências

    * A INTERATIVIDADE da Bienal reina na Usina. Correio do Povo, Porto Alegre, 29 nov. 1999. Variedades.
    * ABRAMO, Rahda. Óptica nova. Istoé Senhor, São Paulo, n. 1092, p. 71-72, 22 ago. 1990.
    * AMARAL, Aracy. Inquietação do sul. In: DOMINGUES, Diana. Universusmulti. Brasília: Margs, 1984.
    * ANDROVANDI, Adriana. Um painel de arte contemporânea. Jornal Correio do Povo, Porto Alegre, 31 out. 1999. Variedades.
    * A ARTE da era digital usa tecnologia e abusa da interatividade. Jornal da Tarde, São Paulo, 7 jan. 1999.
    * ARTE novos meios/multimeios: Brasil 70/80. Apresentação Daisy Valle Machado Peccinini de Alvarado. São Paulo: FAAP, 1985. 360 p., il.
    * B da Bienal é pichado. Pioneiro, Caxias do Sul, 20 mar. 2000. Variedades.
    * BAITELLO JR., Norval. Artistas contam suas artes de criança. Folha de S. Paulo, São Paulo, 7 dez. 1991. Folhinha.
    * BARBOSA, Ana Mae. A imagem plural. In: DOMINGUES, Diana. Connexio: Uma vida óptico – eletrônica para as imagens. São Paulo: MAC/USP, 1990.
    * BARBOSA, Luiz Carlos. A opção de Diana por novas formas. Gazeta Mercantil, Porto Alegre, 16 ago. 1984.
    * BARCELLOS, Vera Chaves. Aspectos da gravura no Rio Grande do Sul. In: GRAVURA no Rio Grande do Sul: atualidade. Introdução Aracy Amaral; curadoria Vera Chaves Barcellos. São Paulo: MAC/USP, 1985. 28 p., il.
    * BELL, Lindolf. Diana Domingues e as gravuras eletrônicas. Jornal de Santa Catarina, 27 mar. 1983.___. Diana Domingues: a redescoberta do coração. Jornal de Santa Catarina, 22 mar. 1983.
    * BIENAL chega ao interior. Zero Hora, Porto Alegre, 29 mar. 2000. Segundo Caderno.
    * BIENAL começa a ganhar forma. Pioneiro, Caxias do Sul, 23 mar. 2000. Sete Dias.
    * II BIENAL do Mercosul. Revista Viva no Sul, Porto Alegre, ano 2, n. 14, dez. 1999. Especial.
    * BIENAL terá a mostra de arte e tecnologia. Correio do Povo, Porto Alegre, 1 ago. 1999. Variedades.
    * BORBA, Dinarte. Inicia o grande evento das artes plásticas. Folha de Hoje, Caxias do Sul, 21 set. 1991. Folheto.___. Sensibilidade científica. Folha de Hoje, Caxias do Sul, 18 mar. 1994.
    * BRITES, Blanca. Para absorver a surpresa. Jornal Zero Hora, Porto Alegre, 11 dez. 1999. Segundo Caderno.
    * BUREAD, Annick. ISEA Chicago. Art Press 230, Paris, p. 66, dez. 1997.
    * C. B. V. Laboratório de arte tecnologia. ABC Domingo, Novo Hamburgo, 31 out. 1999. p. 15.
    * CAIXENSE na área do ciberespaço. Pioneiro, Caxias do Sul, 5 nov. 1999. Caderno Sete Dias.
    * CAMARGO, Denise. Artistas usam o computador para criar um novo conceito de arte. Jornal de Tarde, São Paulo, 7 jan. 1999. Informática.
    * CAPPUCI, Pier Luigi. Arte e tecnologie. Bologna: Ortica, 1996.
    * CAXIAS na II Bienal do Mercosul. Pioneiro, Caxias do Sul, 24 set. 1999. Caderno Sete Dias.
    * CHAVES, Luiz. O uso das imagens eletrônicas nas artes plásticas. Folha de Hoje, Caxias do Sul, 11 ago. 1994.
    * CLAUDIO, Ivan. Sentidos e sensores: uma nova linguagem nasce das tecnologias e torna as obras ainda mais interativas com o público. Istoé, São Paulo, n. 1579, p. 110-111, 5 jan. 2000.
    * COELHO, Teixeira. Para a hipermnésia visão litográfica de Diana Domingues. In: DOMINGUES, Diana. Diana Domingues: gravuras 1985 – 1987. S.l.: Listel, 1987. p. 7.
    * CONSTANTIN, André. As esculturas multimídia de Diana. Pioneiro, Caxias do Sul. Caderno Sete Dias.___. Instalação desenha a estética da tecnologia. Pioneiro, Caxias do Sul, 5/6 nov. 1994.
    * CÓRDULA, Raul. Paisagens do coração e universusmulti: crônica de podre e de apoderados. Boletim Museu de Arte do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, n. 22, 1984.
    * COSTA, Mário. Introduzione. In: ARTMEDIA III. Salerno: s.n., 1990.
    * COSTA, Mário. La nuova immagine della comunicazione. Il Mattino, Milano, 6 nov. 1990.
    * COSTA, Mário. La fotografia della chimica all’eletronica. In: ___. Della fotografia senza soggetto: per una teoria dell´oggetto tecnologico. Genova: Costa & Nolan, 1998.
    * COSTA, Rogério da. Conversações sobre a construção de uma nova sensibilidade. In: DOMINGUES, Diana. Trans-e: o corpo e as tecnologias. Caxias do Sul: UCS, 1994. p 6-12.
    * COUCHOT, Edmond. Entre le transe et l’algoritme. In: TRANS-E: my body, my blood. Caxias do Sul: UCS, 1998.
    * COUCHOT, Edmond. La technologie dans l’art: de la photographie à la réalité virtuelle. Jacqueline Chambon, 1998.
    * CULTURA e turismo. Pioneiro, Caxias do Sul, 27 set. 1999. Opinião.
    * DEON, José. A arte interativa que projeta Caxias. Pioneiro, Caxias do Sul, 29 nov. 1999. Suplemento especial: 30 personalidades de Caxias do Sul do século XX.
    * DIANA Domingues -cibearte na Bienal. Pioneiro, Caxias do Sul, 5 nov. 1999. Caderno Sete Dias.
    * DIAS, Marcos. A arte que tem como suporte as novas tecnologias. Correio da Bahia, Salvador. 4 abr. 2000.
    * DIPLOMA aos destaques do século. Pioneiro, Caxias do Sul, 3/4 dez. 1999. Gente.
    * DIPLOMAS para nomes do século. Pioneiro, Caxias do Sul, 2 dez. 1999. Gente.
    * DOMINGUES, Diana. The desert of passions and the technological soul. In: DIGITAL Creativity, Sweet & Zeitlinger, v. 9, 1998._. The electronic transe. In: INTERNATIONAL SYMPOSIUM ON ELECTRONIC ART, 8., 1997, Chicago. ISEA 97. Chicago: Institute of Chicago, 1997._. The technologized body. In: INTERNATIONAL SYMPOSIUM ON ELECTRONIC ART, 8., 1997, Chicago. ISEA 97. Chicago: Institute of Chicago, 1997._. Trans-e, my body, my blood. In: INTERNATIONAL SYMPOSIUM ON ELECTRONIC ART, 8., 1997, Chicago. ISEA 97. Chicago: Institute of Chicago, 1997._. Tecnologias, produção artística e sensibilidade. Revista Quixote, Curitiba, ano 1, n. 2, dez. 1998.
    * DOZE gaúchos na 2a. Bienal. Zero Hora, Porto Alegre, 20 maio 1999. Segundo Caderno.
    * ELEIÇÃO define destaques do século XX. Pioneiro, Caxias do Sul, 25 nov. 1999.
    * FERREIRA, Marlei. A arte com juros e dividendos. Pioneiro, Caxias do Sul, 3 ago. 1990. Caderno Sete Dias.
    * FERREIRA, Marlei. Diana, guerreira rumo à Itália. Pioneiro, Caxias do Sul, 29 set. 1990. Caderno Sete Dias.
    * FUCUTA, Brenda. Instalações usam espelhos de 10 mil litros de d’água. O Estado de São Paulo, São Paulo, 14 set. 1991.
    * GUIMARÃES, Suzana. Bienal faz o link com futuro. Gazeta Mercantil, São Paulo, 17 nov. 1999.
    * HEINER, Ricardo Antonio. Diana enfrenta os moinhos do tempo. Pioneiro, Caxias do Sul, 12-13 out. 1991.
    * HERKENHOFF, Paulo Estellita. Paragens. In: BIENAL INTERNACIONAL DE SÃO PAULO, 21., 1991, São Paulo. Apresentação Jorge Eduardo Stockler. São Paulo: Fundação Bienal de São Paulo: Marca D’Água, 1991. p. 207.
    * HIRSZMAN, Maria. Bienal do Mercosul lança olhar sobre a arte do ano 2000. O Estado de São Paulo, São Paulo, 22 maio 1999. Caderno 2.
    * ICC Magazine, Tokyo, n. 23, p. 5-7, nov. 1997.
    * IMPRESSÕES humanas na era eletrônica. Pioneiro, Caxias do Sul, 15 jan. 1999.
    * JONES, Stephen. Some comments on a philosophy of virtual reality: issues implicit in Consciousness Reframed. Leonardo, Cambridge, v. 33, n. 2, p. 125-131, abr. 2000.
    * KAC, Eduardo. Gallery. Leonardo, Cambridge, v. 29, n. 4, jun. 1996.
    * LAGO Jr., Sebastião. Sistema digitaliza homem para povoar Internet. Folha de S. Paulo, São Paulo, 18 ago. 1999. Caderno Informática.
    * LIGNANO, Mário. Il futuro é presente. Courriere di Napoli, Nápoles, n. 41, 25 nov. 1990.
    * LOBACHEFF, Georgia. Artes da política. Bravo, ano 3, n. 26, nov. 1999. p. 64-67.
    * LOPES, Rodrigo. Bienal de múltiplas leituras. Pioneiro, Caxias do Sul, 1-2 abr. 2000. Caderno Sete Dias, p. 2-3.
    * MACHADO, Arlindo. As formas migrantes de Diana Domingues. In: MIGRAÇÕES. Rio de Janeiro: Centro Cultural Cândido Mendes, 1989. Disponível em: fac9e126e16d545eb2d2ba0923031bcb. Acesso em: 31 jul. 2002.
    * MARGUTTI, Mario. O imaginário da arte no sensorial técnico. Jornal do Commercio, Rio de Janeiro, 27 nov. 1994.
    * MARMO, Antônio. Il mandala nel computer. Gazzeta di Salerno, Salerno, 22 nov. 1990.
    * MARZZARO, Ivanete. O que importa é a busca de cada um. Folha de Hoje, São Paulo, 19 nov. 1990.
    * MEDEIROS, Jotabê. Acadêmica defende tese no MIS. O Estado de São Paulo, São Paulo, 15 dez. 1993.
    * MENDONÇA, Renato. Os ciberartistas se apresentam. Zero Hora, Porto Alegre.
    * MENDONÇA, Renato. Uma porta para um novo tempo. Zero Hora, Porto Alegre, 13 nov. 1999. Cultura.
    * MONACHESI, Juliana. Bienal do Mercosul termina com recorde. Folha de S. Paulo, São Paulo, 13 jan. 2000. Ilustrada.
    * MORAES, Angélica de. Arte high-tech, o futuro na Bienal. Jornal da Tarde, São Paulo, 27 set. 1991.
    * MORAES, Angélica de. Curadoria multimídia discute arte tecnológica. O Estado de São Paulo, São Paulo, 7 out. 1995.
    * MORAIS, Frederico. Região, xerox e Diana Domingues. Porto Alegre: Espaço N.O., 1980.
    * MORAIS, Frederico. Eletrourbs, eletrogravuras. Rio de Janeiro: Funarte, 1982.
    * MORAIS, Frederico. Na gravura, as tensões da cidade moderna. O Globo, Rio de Janeiro, 5 set. 1983.
    * MOSTRA na UCS quer desenvolver a multiplicidade do olhar. Pioneiro, Caxias do Sul, 30 nov. 1999. Caderno Sete Dias.
    * MOUSE aposenta o tradicional pincel. Zero Hora, Porto Alegre, 26 nov. 1991. ZH Informática.
    * MOUSE aposenta o tradicional pincel. Zero Hora, Porto Alegre, 26 nov. 1991. ZH Informática. (Falta página.)
    * NA USINA. Zero Hora, Porto Alegre, nov. 1999. Cultura Especial.
    * NESRALLA, Ivo. II Bienal de Artes Visuais no Mercosul. Usina do Porto, Porto Alegre, nov. 1999. Sala Vip.
    * NOVOS conceitos de arte. Pioneiro, Caxias do Sul, 28 mar. 2000.
    * OSARIO, Luis Camillo. Brasileiros são destaque em painel irregular. O Globo, Rio de Janeiro, 10 nov. 1999.
    * PAVIANI, Jayme. Universusmulti. In: DOMINGUES, Diana. Universusmulti. Brasília: Margs, 1984.
    * PEREIRA, Nivaldo. Revelações na caverna futurista. Pioneiro, Caxias do Sul, 20 out. 1998. Caderno Sete Dias.
    * PERSONALIDADES do século XX recebem homenagem. Jornal da Universidade de Caxias do Sul, Caxias do Sul, dez. 1999. Geral.
    * PLAZA, Júlio. Mutação de luz. In: DOMINGUES, Diana. Connexio: uma vida óptico – eletrônica para as imagens. São Paulo: MAC/USP, 1990. p. 16.
    * POESIA reside nas vísceras e no coração. Zero Hora, Porto Alegre.
    * PONTALTI, Patrícia. Fim das fronteiras reais e virtuais. Pioneiro, Caxias do Sul, 31 dez. 1999. Especial Era 2000.
    * PONTALTI, Patrícia. Sinais criativos da arte do futuro. Pioneiro, Caxias do Sul, 30 ago. 1998. Caderno Sete Dias.
    * PROJETO vermelho/progetto rosso. Texto Daisy Peccinini Valle Machado de Alvarado. São Paulo: Museu de Arte Brasileira, 1986.
    * RAMOS, Paula. As cores da Bienal. Aplauso Cultura em Revista, Porto Alegre, ano 2, n. 15, p. 40-46, 1999.
    * RIBEIRO, Célia. O fascinante tour pelo mundo artificial. Zero Hora, Porto Alegre, 14 nov. 1999. Donna.
    * ROCHA, Eliziário da Costa. O Mercosul funciona. Revista Época, n. 76, 1 nov. 1999. Disponível em: epoca.globo.com/edic/19991101/cult4.htm. Acesso em: 31 jul. 2002.
    * RODRIGUES, Bélgica. Recuento. Arte Plural de Venezuela, Caracas, n. 8, p. 95, 1984.
    * SÁ, Regina. Tecnologia a serviço da arte. A Tarde, Salvador, 4 abr. 2000. Caderno 2, p. 3.
    * SANTAELLA, Lúcia. Fábulas enigmáticas para o real tecnológico. DOMINGUES, Diana. Trans-e: o corpo e as tecnologias. Caxias do Sul: UCS, 1994. p. 4.
    * SCHULTZ, Margarita. Diana Domingues -Trans-e: my body, my blood, 1997, interactive instalation. Revista de artes visuales, Lund, ano 7, n. 24, jul. 1998. Disponível em: http://w1.461.telia.com/~u46103777/Textos/Indices/Anteriores/indice24.html. Acesso em: 31 jul. 2002.
    * SIANO, Giuseppe. Estética e cibernética. Salerno: Palladio, 1984.
    * SIANO, Giuseppe. Per una nuova semiosi fotografica. In: ARTMEDIA III. Salerno: s. n., 1990.
    * SIMÕES, Alessandra. Simpósio lúdico -obras digitais são destaque na Bienal do Mercosul. Gazeta Mercantil, São Paulo, 12-14 nov. 1999.
    * STERZI, Eduardo. A arte humaniza as tecnologias. Zero Hora, Porto Alegre, 29 nov. 1995.
    * STERZI, Eduardo. Além da escravatura do prazer. Jornal da Universidade Federal do Rio Grande do Sul, dez. 1999. Cultura.
    * SIMPÓSIO debate arte e tecnologia. Correio do Povo, Porto Alegre, 2 nov. 1999. Variedades.
    * STRECKER, Marion. Bienal acolhe o passado do Japão e o presente high-tech made in Brazil. Folha de S. Paulo, São Paulo, 8 set. 1991.
    * UCS debate comunicações e telemática. Pioneiro, Caxias do Sul, 5 maio 1999.
    * UMA CIBERUSINA no gasômetro. Zero Hora, Porto Alegre, 25 out. 1999. Segundo Caderno.
    * VAINSECHER, Ana Márcia. Pintora troca os pincéis pela eletrônica. O Estado de São Paulo, São Paulo, 28 ago. 1990.
    * VEIGA, Clarissa Berry. A imagem e os meios eletrônicos. Zero Hora, Porto Alegre, 3 set. 1990. Segundo Caderno._. Metáforas eletrônicas. Zero Hora, Porto Alegre, 9 set. 1991._. Diferenças latinas na Bienal. Jornal ABC, Porto Alegre, 31 out. 1999.
    * VIAUT, Gisele. Uma arte com sons e imagens em movimento. Folha de Hoje, Caxias do Sul, 15 set. 1990. Folheto.
    * WOYAKOSKY, Leandro. Connexio a arte sob o olhar eletrônico. Folha da Tarde, São Paulo, 14 ago. 1990.___. Um labirinto provocante. Zero Hora, Porto Alegre, 23 set. 1991.

deixe uma resposta